sábado, 11 de junho de 2011

; o meu cacto

No deserto está situado
o meu grande cacto.
Não é domesticado
ou sequer amado
como um simples gato.
 
O meu cacto é parecido
com um sentimento ferido.
Fere até o melhor,
deixa o Homem aborrecido
e faz tudo parecer pior.
 
Neste mundo frio e cruel
não necessitamos mais disso.
Nem chega a ser doce,
doce como o mel,
ou sequer castiço.
 
Pica, pica o coração
ai que dor, não aguento isto não!
Não existe coisa mais horrível
ou então credível,
que a triste SOLIDÃO.

Sem comentários:

Enviar um comentário